rs.abra

O setor de alimentação fora do lar agoniza com a nova determinação do Governo do Estado do Rio Grande do Sul de suspender as atividades gerais das 20h até às 5h, independente da classificação de bandeira do município. O anúncio foi feito na tarde de segunda-feira (22) e, mais uma vez, prejudica os empresários gaúchos que lutam para manterem seus estabelecimentos abertos diante da crise. “Quem trabalha só à noite, vai ter que fechar as portas”, alerta Maria Fernanda Tartoni, presidente da Abrasel no RS.

A decisão é válida a partir da terça-feira (23) e vai até o dia 1º de março. A entidade projeta um prejuízo de mais da metade do faturamento de quem opera em dois turnos por conta de as vendas de jantares serem melhores do que as de almoços. Cerca de 19% de bares e restaurantes que funcionam apenas à noite não poderão abrir. Ao diminuir e limitar horários, as empresas são empurradas cada vez mais para o vermelho e representa um risco de falência aos empreendedores.

O cenário é grave para a maioria dos empresários do ramo de gastronomia que, após muitas tentativas de retomada, ainda não conseguiram superar metade do faturamento que tinham no período anterior à pandemia. A situação que é sensível ganha mais um capítulo negativo com novas restrições em seu funcionamento. “Há o risco de, quando houver a possibilidade de abrirmos novamente, muitos não conseguirem”, explica Maria Fernanda, que completa, “Sem poder trabalhar, muitas pessoas vão perder seus empregos e seus negócios. Não podemos ficar um dia sem faturar, infelizmente”.

A presidente da Abrasel no RS destaca que não são os bares e restaurantes os grandes culpados pela atual situação e que é necessário combater as aglomerações em praias e festas clandestinas. “Nós somos um ambiente seguro e seguimos rigorosamente todos os protocolos de segurança. É fundamental ter mais fiscalização e orientar quem não está respeitando as medidas”, defende.

Além da suspensão das atividades após às 20h, o governador do RS, Eduardo Leite, também anunciou a manutenção do sistema de cogestão com municípios. A Abrasel no RS avalia a decisão como um acerto por dar margem para os prefeitos de cada região trabalharem com suas particularidades e atendendo as necessidades de sua população.

Regras para Porto Alegre

No mapa do distanciamento controlado, Porto Alegre ficou com a classificação de bandeira preta. Porém, o município pode seguir as regras da bandeira vermelha, por conta da cogestão. Com as novas determinações do Governo do Estado e a mudança de bandeira, os bares e restaurantes da Capital devem seguir como medidas obrigatórias:

- atendimento presencial até às 20h, com até 25% da capacidade do estabelecimento.

- operação reduzida em 50% no quadro funcional.

- grupos de no máximo 6 pessoas por mesa.

- distanciamento de 2m entre mesas.

- apenas clientes sentados em mesa, sem permanência em pé.

- tele-entrega sem restrição de horário.

- “pegue e leve” e drive-thru vedados após às 20h.

- buffets de autosserviço fechados.

Mais detalhes sobre as mudanças com o novo decreto no link: https://www.estado.rs.gov.br/governo-publica-decretos-com-novas-restricoes-para-combate-a-pandemia-no-rs

Comentários