rs.abra

A expectativa é alta para o setor de Alimentação Fora do Lar após o anúncio da prefeitura de Porto Alegre com os protocolos próprios para o funcionamento das atividades na Capital. O decreto publicado nesta quarta-feira (19) traz novas flexibilizações para os bares e restaurantes, aumentando a capacidade máxima de público e sem restrição de horários. “Com as liberações, vamos poder lutar para salvar nossos estabelecimentos da crise econômica”, destaca Maria Fernanda Tartoni, presidente da Abrasel no RS.

Com a implementação do sistema de 3As – aviso, alerta e ação –cada região pode adaptar as regras variáveis indicadas pelo Estado e deve seguir as determinações obrigatórias, como a proibição da permanência de clientes em pé durante o consumo de alimentos ou bebidas e o impedimento para a abertura e ocupação de pistas de dança ou similares. Pelas determinações da Capital, os bares e restaurantes devem manter o controle rígido da ocupação máxima de 60% das mesas ou similares, apenas clientes sentados e em grupos de até 6 pessoas, sem a realização de eventos tipo happy hour e com performances musicais liberadas.

“Era fundamental ter flexibilizações que nos permitam trabalhar em todos os turnos e com uma capacidade de ocupação maior”, aponta Maria Fernanda Tartoni que completa, “Vamos operar respeitando todos os protocolos de proteção e incentivando os consumidores a colaborarem para seguirmos abertos”.

Outra novidade do decreto municipal é a liberação dos buffets de autosserviço, desde que tenham a instalação de protetor salivar, lavagem prévia das mãos ou utilização de álcool 70% ou sanitizante similar por funcionário e clientes, distanciamento entre pessoas e uso de máscara de maneira adequada. A presidente da Abrasel considera a decisão de liberar os buffets uma vitória importante que atende uma demanda dos próprios consumidores.

Maria Fernanda Tartoni destaca que a Abrasel seguirá dedicando esforços para incentivar uma retomada segura e reforçando a importância de prevenção, higiene e boas práticas com os associados. “Buscamos um equilíbrio entre saúde e economia. Somos ambientes seguros, que respeitam as medidas de proteção e vamos continuar fazendo nossa parte no combate à pandemia”, defende a presidente.

Comentários