rs.abra

Dados da Abrasel expõem fragilidade do setor de alimentação fora do lar diante da pandemia

A situação é preocupante e pode ficar insustentável. De acordo com dados da Associação de Bares e Restaurantes no Rio Grande do Sul (Abrasel no RS) mais da metade dos bares e restaurantes gaúchos correm o risco de fechar nos próximos 60 dias. Os prejuízos em fevereiro atingiram 76,9% dos estabelecimentos, mais um mês de faturamento abaixo que empurra os empresários para uma crise econômica difícil de enfrentar. “Estamos agonizando. Se continuar assim, o cenário será irreversível”, alerta Maria Fernanda Tartoni, presidente da Abrasel no RS.

A principal demanda da categoria para solucionar a situação é uma flexibilização nas regras de funcionamento à noite e aos finais de semana. Ao menos metade dos estabelecimentos registram mais de 40% do seu faturamento durante o sábado e domingo. A maioria dos bares e restaurantes conta com a venda de jantares para sua sobrevivência, com uma fatia significativa dos locais operando apenas no período noturno.

“Não funcionar de noite e aos finais de semana significa a falência para muitos empresários”, alerta Maria Fernanda, que completa, “Apenas a tele-entrega não cobre os nossos custos, o rendimento fica abaixo comparado ao salão”, explica. “Os finais de semana também são fundamentais para escapar da crise, é nesse momento que as pessoas gastam um pouco mais porque conseguem fazer a refeição com mais tranquilidade”, argumenta.

Se seguir neste ritmo, o colapso no ramo da gastronomia pode gerar consequências graves à economia gaúcha. Responsável por milhares de empregos, cerca de 80% dos estabelecimentos demitiram funcionários durante a pandemia, sendo que metade daqueles que não tiveram cortes na equipe ainda, pretendem fazer para tentar equilibrar as contas. O endividamento atinge 85,7% dos estabelecimentos e traz reflexos aos cofres públicos com dois terços deixando de pagar impostos.

Confira os dados da pesquisa:

- 56,8% dos estabelecimentos podem fechar as portas em definitivo nos próximos 60 dias.

- 83,8% dos bares e restaurantes trabalham à noite, sendo que 26,9% funcionam apenas no período noturno.

- 57,3% dos estabelecimentos concentram mais de 40% do seu faturamento nos finais de semana.

- 79,5% dos bares e restaurantes demitiram funcionários durante a pandemia. Além disso, mais 10,4% não demitiu ainda, mas pretende fazer.

- 76,9% dos estabelecimentos operou com prejuízo em fevereiro. Apenas 4,2% dos empresários obtiveram lucro no mês.

- 85,7% possui dívidas em aberto e 66,2% dos empresários deixaram de pagar impostos.

Comentários